terça-feira, 23 de junho de 2015

NEYMAR: EXPULSO POR CORRUPÇÃO


É sabido que há várias “modalidades” de corrupção. As mais conhecidas são aquelas ligados ao setor público, tais, como: a propina, o superfaturamento dos preços de produtos e serviços, o desvio de dinheiro público e outros. Porém, pouco se fala da sonegação fiscal, uma modalidade de corrupção tão o mais danosa aos cofres públicos quanto às demais acima citadas. A diferença é que a sonegação é uma prática exclusiva da iniciativa privada, podendo ter ou não a participação do poder público. 

Só para se ter uma ideia da grandeza da sonegação o “Sonegômetro”, ferramenta criada pelo Sindicato dos Procuradores da Receita Federal para medir o valor da sonegação no Brasil, aponta que neste exato momento que escrevemos esse texto (22/06/2015 - 18 h) estão sendo sonegados R$ 246.215.190.780,89 aos cofres públicos do Brasil (http://www.quantocustaobrasil.com.br/).

Evidente que essa modalidade de corrupção é escondida pela “mídia nativa” que a trata como coisa comum e banal, e o motivo é óbvio: os meios de comunicação do Brasil estão entre as empresas que mais sonegam impostos no país, ou seja, são as mais corruptas do Brasil e, por conseguinte, as empresas que mais trazem prejuízos ao povo brasileiro. 

A sonegação é uma prática que abarca todos os setores econômicos de um país, até as atividades de entretenimento estão envolvidas nesse tipo de corrupção. Um grande exemplo é o escândalo da FIFA, e agora o envolvimento do craque Neymar no escândalo de sonegação no Brasil e na Espanha. 

O caso Neymar é bastante emblemático para ilustrar a omissão da mídia, ou melhor, da Rede Globo sobre esse tema. Depois da partida do Brasil contra a Colômbia, os comentaristas globais fizeram uma enorme ginástica para tentar explicar o transtorno emocional do nosso craque durante o jogo, fato que o levou a ser expulso da citada partida e, por conseguinte, da Copa América.

O mundo sabe que Neymar, o garoto propaganda de Aécio Neves, está visivelmente abalado com as notícias das investigações da Receita Federal e do Ministério Público do Brasil sobre possíveis crimes de sonegação fiscal, fraude contra a ordem tributária e falsidade ideológica, quando de sua transferência para o Barcelona. Além das investigações no Brasil o Tribunal de Justiça da Espanha aceitou denúncia contra o Clube do Santos, o Barcelona, o Neymar e seu pai, todos acusados de fraude e corrupção pelo Fundo de Investimento DIS, dono de 40% dos direitos do jogador.

Ficou claro, que o descontrole de Neymar durante a partida contra a Colômbia não foi normal. Não há dúvidas de que essa inquietação está relacionada com essas investigações, mas em nenhum momento os comentaristas da Rede Globo tocaram ou aprofundaram sobre assunto, nem poderia, afinal, um dos comentaristas é Ronaldo “fenômeno”, o empresário que cuida da imagem de Neymar. As favas a ética deve dizer os irmãos “Marinhos”. 

Diante disso, fica claro a hipocrisia midiática quando da cobertura dos escândalos de corrupção. Não há como separar a corrupção pública da privada, do político do craque de futebol, do superfaturamento da sonegação, todas são danosas para o povo e devem ser combatidas com todo rigor, doa a quem doer, cometeu corrupção tem de pagar na forma da lei!

0 comentários:

Postar um comentário