sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

AS RUAS E O STF DECRETAM: GOLPE NUNCA MAIS!


No dia 13 de dezembro as elites conservadoras e os movimentos fascistas do país foram às ruas do Brasil para pedir o impeachment da presidenta Dilma. Capitaneados pelos Senadores, Aécio Neves, Ronaldo Caiado e pelo ex-presidente FHC e incentivados pelas manifestações de março de 2015 e embalados pelas sórdidas manobras do réu, Eduardo Cunha que deflagrou o processo de impedimento da presidente Dilma o movimento pró-impeachment apostava que as manifestações de 13 de dezembro seriam um estrondoso sucesso, aliás, a oposição entendendo, que o impeachment é um processo, apenas político, esperava que esse evento fosse à bala de prata que legitimaria o golpe contra o governo Dilma. 

Mesmo com todos esses elementos, supostamente, a seu favor a oposição conservadora do país errou bisonhamente na organização do evento. Primeiro, subestimaram a inteligência do povo ao deflagrar um processo de impeachment motivado apenas por vingança do réu Eduardo Cunha e do derrotado Aécio Neves; segundo, erraram na escolha do dia, pois, 13 de dezembro é uma data de tristes recordações para o povo brasileiro, pois, é o dia em que foi publicado o AI-5, o ato institucional que recrudesceu a ditadura militar e por último errou na espúria aliança com o Deputado/réu Eduardo Cunha.

Frente a tudo isso o resultado não poderia ser diferente: as manifestações foram um fiasco, um desastre ferroviário, como diria Mino Carta! Diante disso, restava, ainda, à oposição apostar no insucesso das manifestações organizadas pelos movimentos sociais e aguardar a decisão do STF que poderia confirmar a legalidade dos atos, ou melhor, das manobras do processo de impeachment na Câmara dos Deputados. Porém, mais uma vez, as elites perderam! As manifestações contra o golpe foram um sucesso, inclusive, superando em quantidade o movimento monocromático patrocinado pela oposição.

Com relação ao julgamento da Ação junto ao STF, mais uma derrota acachapante para a oposição. Malgrado o relatório do Ministro/Relator Luiz Edson Fachin ter consagrado o processo de impeachment da Câmara dos Deputados, não demorou muito para que a Corte Suprema colocasse um fim nas aventuras caudilhescas da oposição. Após o voto do Relator começou a desabar sobre as cabeças dos golpistas os votos dos demais Ministros. O primeiro voto divergente foi do Ministro Luís Roberto Barroso que com muita fidalguia desconstruiu um a um os argumentos do Relator. Seguiram o Ministro Barroso os Ministros, Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia e Marco Aurélio Mello e acompanharam o relator, na maioria dos pontos, apenas Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Celso de Mello.

Findados os debates no plenário, veio o veredito que sepultou, de vez, o golpe patrocinado pela oposição e por Eduardo Cunha. Resultado: o Senado pode arquivar o processo de impeachment; a votação para composição da comissão de impeachment não pode ser secreta, portanto, está nula a manobra da oposição na eleição da Comissão e, por fim, sacramentou-se que não pode haver chapa alternativa ou avulsa para formação da Comissão.

O ponto fora da curva nos debates no STF ficou por conta do Ministro Gilmar Mendes que, mais uma vez, foi arrogante, deselegante e agiu como um politico no palanque. E se isso não bastasse Gilmar Mendes longe do plenário e de maneira raivosa e covarde concedeu uma entrevista agredindo a integridade moral de seus pares, dizendo: (...) “lembra que eu falei do risco de cooptação da Corte?...É claro que há um projeto de bolivarização da Corte. É evidente que assim como se opera em outros ramos do Estado, também se pretende fazer isso no tribunal e, infelizmente, ontem (quinta) nós demos mostras disso..”

Frente a tudo isso, tiramos duas conclusões: a primeira, pedimos emprestada ao jornalista Laurez Cerqueira, que disse: "Temer rola ladeira abaixo. Cunha aguarda as algemas e Aécio desaparece na nuvem de sua mediocridade”. A outra conclusão são às claras mensagens das ruas e do STF: golpe nunca mais!

4 comentários:

  1. Caça ladrões petistas18 de dezembro de 2015 16:10

    Quem te disse que CUT,MST e UNE traduzem a vontade popular? Imbecil!

    ResponderExcluir
  2. Caça ladrões petistas18 de dezembro de 2015 16:15

    9% de aprovação popular desse desastre que está na presidência, significa o que para você? Porta voz do atraso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou totalmente favorável a livre manifestação, além do mais, você está lendo meus textos, o único senão é você se esconder no pseudônimo,fique tranquilo vivemos em uma democracia e graças a Dilma e outros companheiros eu,VC e todos os brasileiros podemos nos manifestar sem nos
      esconder no anonimato. Mas de qualquer maneira obrigado pelos comentários...Feliz Natal e que oano de 2016 seja de menos preconceito,menos ódio e menos intolerância....

      Excluir
  3. O anonimato faz parte da democracia, sabia ?ptista "democrata" (se é que possível fosse)

    ResponderExcluir